Conheça as melhores práticas para uma sucessão empresarial de sucesso

Conheça as melhores práticas para uma sucessão empresarial de sucesso

A sucessão empresarial é um momento inevitável para a maioria das empresas. Ainda assim, costuma gerar desconfiança e apreensão em todos os envolvidos, sucessores e sucedidos.

Nesse sentido, para que esse processo se torne menos traumático e com maiores chances de êxito, basta seguir algumas orientações e dar cada passo no devido tempo, sem pressa e sem desespero.

Então continue lendo nosso post para entender as melhores práticas para uma sucessão empresarial de sucesso!

O que é sucessão empresarial

Antes de falarmos propriamente do assunto deste post, é fundamental restar entendido o que é uma sucessão empresarial. Trata-se de uma transferência de poder e de capital da empresa de um grupo ou geração (sucedido) para outro grupo ou geração (sucessor).

O grupo sucessor garante, assim, a continuidade das atividades desenvolvidas naquela empresa, atuando no mesmo estabelecimento e mantendo os mesmos empregados nas suas respectivas funções.

Em razão disso, o sucessor assume, também, todas as obrigações assumidas pelo anterior. As obrigações civis, no entanto, podem ser objeto de negociação de forma que o sucessor assuma apenas as obrigações contraídas a partir de sua posse. Já as obrigações trabalhistas não podem ser objeto de negociação, tornando-se responsabilidade do novo grupo proprietário da empresa, mesmo as anteriores a sua posse.

Cabe ressaltar que em caso de liquidação extrajudicial e de falência da empresa sucedida, não há sucessão empresarial, já que não há a transferência de passivos ou ativos.

Como garantir o sucesso da sucessão empresarial

A sucessão empresarial provoca, inevitavelmente, um desgaste na empresa. Por isso torna-se tão importante fazê-la com planejamento estratégico, a fim de minimizar ao máximo possíveis impactos.

O planejamento estratégico deve garantir uma sucessão gradual, isso tanto na escolha do grupo sucessor como na própria transferência do comando.

Nesse contexto, o ideal é que o futuro sucedido avalie quais os critérios a serem preservados na empresa, como seus valores, missão, cultura e marca. A partir dessa definição será possível analisar melhor os candidatos à sucessão, considerando não apenas a questão financeira, mas a capacidade e o interesse em preservarem os valores da corporação.

Uma vez determinada a sucessão, é o momento de envolver os funcionários e demais colaboradores. Eles também devem fazer parte deste momento para que se sintam mais seguros e abertos à mudança. Além disso, é fundamental a colaboração e o apoio deles aos novos gestores para que a empresa continue desenvolvendo um bom trabalho.

Outra orientação para uma sucessão tranquila é que ela seja incorporada na empresa gradativamente. Assim, o ideal é que durante um período de tempo sucedido e sucessor convivam, até mesmo para que a experiência e o conhecimento do antigo dono sejam repassados ao novato.

Como fazer a sucessão em empresa familiar

A empresa familiar também deve seguir as orientações do tópico anterior para promover uma sucessão segura e tranquila, ainda que se trate de uma sucessão de pai para filho.

Além daquelas orientações, é fundamental que a escolha do sucessor seja feita com base em critérios técnicos, avaliando o seu desempenho e sua qualificação, e não apenas por motivos sanguíneos.

Além disso, a sucessão deve ser feita e pensada enquanto o atual dono ainda está no comando, de modo a não esperar o momento em que uma situação de saúde o obrigue a interromper seu trabalho. Essa medida proporciona uma sucessão com planejamento, e não às pressas e de qualquer maneira.

Acrescente a isso o fato de que o futuro gestor, em caso de sucessão familiar, deve estar familiarizado com o funcionamento da empresa e, preferencialmente, já assuma algum cargo. Isso facilita a mudança e oferece segurança aos colaboradores, pois já conhecem e trabalham com o futuro sucessor.

Dessa forma, é possível realizar uma sucessão empresarial com segurança e satisfação de todos os envolvidos, contanto que seja feita com planejamento estratégico e a transferência, que deve ser gradual, seja a alguém que compartilhe dos mesmos valores que o sucedido.

Gostou do post? Então assine a nossa newsletter e aprenda muito mais!

Compartilhe este post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *